quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

MAU SONETO










Que ela fique lá, a árvore enfeitada
No canto da sala, altiva e colorida
Me fazendo lembrar chorosa e dolorida
Dos desencantos que esta festa me apontava...

Nenhum papai, titio noel voando lá dos céus
Nenhum jesus cristinho acalmando os gritos
Nenhuma virgem santa para os meus benditos
Somente lágrimas e dores para meu coração-réu...

Quem quer um adocicado e gentil Natal?
Quem quer o aniversário do Cristo?
Quem mesmo sofrendo se sujeita a isto?

Quem ainda não cansou e passou mal?
Quem ainda finge e brinca a olhos vistos?
Quem ainda crê neste dia infinito?

2 de papo!:

Anônimo disse...

Lindo, lindo, seu poema Jacque!
Só mesmo vc para esrever um texto tão criativo e fascinante.
Abração daqui da Rua da Carioca
Genario.

Zuleida disse...

Teu poema é muito sério, mas me fez lembrar uma piadinha:
Dois velhinhos conversando, um perguntou pro outro " Tu gostas mais de Natal ou de sexo?" A resposta do outro: " De sexo! Natal tem todo ano, aí enjoa" rsrs
Beijo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails