domingo, 9 de dezembro de 2007

RESSACA


Derramar a poesia
versos cheios
de palavras tardias
entrelinhas,
entre os meios
Folhas carregadas
de tinta e de coisas
sentidas
bem fundas
cortadas além da
pele...
sem mentiras que
gelem o desejo
de transferir
todo o sangue..
Coisas caladas e
insinuadas
coisas quase
esquecias
das tantas vividas
das outras queridas
derramar a poesia
como um amontoado
de dias e dias
uma profusão
de luzes ou lágrimas
que nunca
aconteceram...

(Ouvindo deliciosamente calma a voz de Leila Pinheiro... tudo que ela canta fica bom)

Imagem da net

1 de papo!:

Zuleida disse...

NA POESIA AS COISAS ACONTECEM,MESMO!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails