sábado, 1 de dezembro de 2007

VARIAÇÕES DE SER


Pode ser que eu seja um pássaro
que voa ao encontro do nada
ou um peixe que desliza em
águas geladas...
Talvez seja eu, uma folha
que dança tombando
da árvore já despida
ou uma simples melodia
que, bela, explode no espaço...
Mas e se eu for uma pedra
que acerta a cabeça
de um passante, à esmo...
ou uma voz estrangulada
por calmante na garganta...
Eu poderia ser a onda do mar
que faz a dança do ventre
entre o oceano e
as areias da praia...
ou um raio de sol iluminando
como estrela distante que é
a fria e necessita da terra...
Talvez um vento que arrastasse
tudo em seu caminho
ou uma criança amedrontada
em seu leito que, pálida,
nem consegue adormecer...
Quem sabe...
Quem sabe seria eu madeira
de construção para uma casa qualquer
ou uma cerca cheia de princípios...
ou mesmo asfalto de uma
estrada que alonga a vida...
Eu poderia ser desejo de vitória
ou mesmo o troféu da glória...
Tudo, tanto, muitas coisas...
Podemos ser o que desejamos
ser aqui e agora...
E como parte de mim,
sou de ti o pedaço que acalma
sem nunca principiar para não
ter um fim... serei sempre
parte de tua alma...

(Ouvindo Nina Simone, Wild is the Wind)

Imagem: da net

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails