domingo, 30 de março de 2008

CAVALEIRO, CAVALEIRO


Adilson Bandeira*



Às vezes me sinto um escritor
Toco a mão a escrever
Em direção às linhas
que na minha frente aparecem
sem pensar...
Tudo é claro a me falar
Coisas belas, coisas do coração
A poesia que me faz falar
Belas coisas a cavalgar
Cavalo, montaria
Uma sela a montar...
Olho para a frente
Cavalos a relinchar
Muitos deles a me olhar
Cavalo, cavaleiro
a galopar!





*Adilson Bandeira é lagunense nascido em 1966. Descendente de açorianos e bugres, como ele mesmo se define, o poeta se multiplica nas artes como o amor que tem pela sua terra natal. Poeta, desfila pelas demais artes com a simplicidade dos grandes e o coração dos puros. Mais? Aguardem... Adilson é só surpresas!




Imagem da net

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails