sexta-feira, 8 de agosto de 2008

MAC 3


Uma sequência de fatos desabou na minha cabeça. Assim como se de repente, em questão de segundos eu lembrasse de todos os sonhos ou de todas as vidas. Tudo passando muito rápido, numa velocidade tão grande que a única coisa sensata que pensei foi: se eu abrir os olhos agora vou cair em qualquer lugar que não será nunca mais aqui! Vertigem!
As imagens correndo em jogos de cena, tudo em branco e preto. Tudo correndo. E eu parada. Sem tentar identificar. Absolutamente nada. Já me aconteceu antes isto e alguns locais, algumas pessoas, alguns acontecimentos, algumas coisas eu sei que já passaram por aqui. Como vida ou como sonho. Mas finjo que nada sei. E permaneço quieta.
Assim, parada no tempo e no espaço, se durasse mais do que alguns segundos e se o mundo percebesse, diriam que fui tomada por alucinógenos ou por alienígenas. E que divago...
E então tudo passa. Como veio. Sem aviso. Simplesmente acaba. Não há mais imagem alguma. Sei que se forçar e tentar lembrar do que vi agora há pouco vou ficar com dor de cabeça. É informação demais, eu não suportaria. Ao mesmo tempo, sei que se deixar passar alguns poucos minutos que for, o esquecimento será inevitável e me restarão poucos vestígios do que acabei de viver.
Resolvo deixar pra lá. Levanto e penso em outras coisas para fazer. A resignação pode não dar paz, o conformismo pode não acalmar o espírito, mas ao menos o corpo não haverá de sofrer o martírio das dores de cabeça. De vez em quando alguém, dentro de um corpo, precisa ser realista.
(Ouvindo Jeff Buckley, o cd "Grace", que hoje está tocando pela primeira vez. Hoje. Ainda...)

Imagem da net

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails