terça-feira, 30 de dezembro de 2008

SONHO EU


Sonhar? Eu sonho sim. Muito. Mas será que tenho uma natureza sonhadora? Será que sou a dama devaneante que circula com uma flor na mão pelos jardins de castelos imaginários? Será? Não. Esta aí com certeza eu nunca fui. Eu sonho, e sonho muito. Carrego as pilhas da imaginação e por vezes acelero e vou longe. A lugares que meus pares nunca conseguiriam sequer pensar em ir, que diria criar. Isto dito, voltemos.
Eu sonho e meus devaneios são tudo o que quero, tudo o que desejaria, tudo o que poderia engendrar fora de uma realidade constante. E eis o ponto. Realidade constante. Quando sonho, ou estou dormindo ou meus olhos estão fechados mas a consciência, ela, está bem aberta e clara (o que classificaria o que chamaríamos de "olhos abertos"). Não costumo sonhar por sonhar. Não faz parte de mim construir castelos em beira de praia com ondas indo e vindo. Ou sonho pra me divertir ou sonho inconsciente (dormir é bom!).
Quando sonho para me divertir posso dividir ou não. Os que divido são os de "brincadeirinha". São aqueles que posso falar em voz alta com um e outro, contar aqui e ali, fantasiar, fazer de conta. Neles posso ser fada, ganhar na loteria, viajar, me transformar, ser, ter, acontecer. São sonhos plenos de desvarios, feitos para rir e sorrir, sem consequências e dia seguinte. E podem se repetir inúmeras vezes... basta querer. Sonhos com riscos calculados.
Os sonhos "de olhos abertos" - mas fechados - são os que guardo somente para mim. São os que construo em geral antes de dormir ou quando estou sozinha no carro, no ônibus, caminhando pelas ruas. São meus mimos, minhas fantasias, minhas projeções. Neles sou a mestra, a criadora, possuo o dom de modificar meu destino e vivo as quimeras como se fossem os fatos que fizessem de minha vida toda uma estrada de luz e alegrias. Invento todos os momentos.
E por fim, os sonhos de quando adormeço. Minha realidade alternativa. Tão ou mais movimentada que minha própria vida. Viajo muito, circulo muito, converso com muita gente em muitos lugares diferentes. Há sempre muito o que lembrar. Cada vez que durmo é como se partisse realmente para um outro universo ou dimensão. Não é simples explicar e tornar inteligível o que vivo durante estes sonhos. Só os sinto verdadeiros.
Eu sonho muito e sonho com uma consciência realística que muitas vezes até pesa. Pesa, me acompanha e me mostra a cada passo da vida que esta sou eu.
(Com meu novo perfume, que amei, "Jasmin Noire" - Bulgari, ouvindo Linkin Park - "Road To Revolution/Live At Milton Keynes" e dando um tempo pra devorar um magnífico e brasileiro "cachorro-quente")

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails