segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Linhas da Mão


Gato com sete vidas
Impertinente e ausente
Correndo no quintal.
Anjo sem asas, caído
Clemente e descrente
Viajando pelo astral.
Palhaço no circo perdido
Descontente e conivente
Rindo do bem e do mal.
Soldado sem guerra, dividido
Impotente e impenitente
No solo esperando o final.
Oráculo de um mundo enlouquecido
Veemente e reluzente
Rezando para o imortal.
Velho cansado e sem ouvidos
Exigente e doente
Deixando a vida sem sinal.
Flor entre espinhos nascida
Indolente e inexperiente
Dançando com o virginal.
Criança solitária pela vida
Sorridente e independente
Brincando com o real.
Voz que grita o louco descabido
Insistente e experiente
Procurando um ideal.
Pedaço de corpo ferido
Fremente e indecente
Sem alma e sem filial.

1 de papo!:

zuleida disse...

Tu, gata de sete vidas, alegras a minha com poesias tão lindas...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails