quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Deixa eu desabafar...


Poderia colocar a culpa no tempo frio ou em qualquer outra coisa mas estou sem vontade. Hoje estou sem vontade de muita coisa. Inclusive de colocar culpas. Então pego todas e guardo aqui comigo. Há praticamente dois anos (daqui a dois meses) saí por uma porta para um passeio que duraria quinze dias. Um passeio (não quero usar a palavra tratamento) que dura até hoje.
De lá para cá já passei por tantos tipos de papos (exames me soam rudes...) com tantas pessoas diferentes com visões (diagnóstico hoje me soa uma coisa absurda) que perdi a conta e, sinceramente, me sinto cansada. Esgotada. Quando choro, não choro de tristeza, nem de raiva. Choro para esvaziar mesmo. Porque não consigo entender.
Já perdi a vontade de encontrar pessoas novas, ter aquela esperança de que, desta vez, se eu repetir o "histórico", não será em vão. Aqui, ali, acolá. Acreditando nisto, naquilo, noutra coisa ou em absolutamente nada. O máximo que ganhei foi a fidelidade de um "profissional" por mais de um ano que me tratou por algo que eu não tinha, para em seguida ser descoberto que coisas que eu tinha estavam se agravando porque não estavam sendo tratadas... E será que haveria algo mais por trás? Ah, sim. Tem.
Mas quem se importa? Certamente não os que me deixaram nesta situação e para falar a verdade no exato momento nem eu mesma. Não vou dizer que ter dor é algo com o que a gente se acostuma. Não é. Principalmente quando é muita e não é num lugar só. Porém chega um ponto em que uma coisa se torna mais importante do que a própria dor: o amor por si próprio.
E quando chega este momento, tudo o que se consegue ver é um mundo bem reduzido diante da chamada dor. É quando a gente se torna mais frio, mais distante, menos apto a confiar em profissionais que se dizem prontos a ajudar.
Aqui escrevendo me vem a idéia liberadora de que (tratar) talvez o ideal seja mesmo apenas "marcar, usar, determinar, pegar, pagar e sair". E adeus. Porque hoje em dia certos profissionais da área da saúde estão agindo como profissionais da noite (exatamente isto, e com todo o respeito aos profissionais da noite). Grite quem quiser, sei o que vivi, sei o que vivo. Finalmente, achei algumas costas para descarregar culpas também... Rá!
Então, só para terminar meu desabafo, já que agora consegui parar de chorar um pouco, deixa eu só dizer mais uma coisinha: eu sou uma pessoa positiva. Se não fosse, estaria com certeza, morando em outra dimensão!
Até!

2 de papo!:

Zuleida disse...

Parece que estou vendo e escutando tu falares este "Rá!". Bota p/ quebrar!!
Beijo!!!

Anônimo disse...

Amiga querida eu só tenho uma herniazinha de disco que passou a doer de um ano pra cá. Então daqui faço preces para que tuas dores várias tenham um gradual alívio.
Vai beijo no coração.
Fatima

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails