quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Cigana


Disponho as cartas
sobre a mesa.
Lado a lado,
abaixo,
lado a lado,
abaixo...
e elas se predispõem
a contar uma
história.
Enquanto isto,
voando rasante
sobre o invisível,
os olhos desatentos
a cintilar,
tudo já vi,
tudo já li.
Num silêncio
de segundos
sei que sabia.
E de que vai me adiantar gritar depois que foi sem querer?
Que os papéis eram efeite e o baralho estava em mim?
Que eu não queria saber?
E que é só porque... porque...
porque...
sou assim?


(Ouvindo Yo-Yo Ma, Soul of the Tango- The Music of Astor Piazzolla)

1 de papo!:

Faces de Mulher disse...

Amei encontrar você entre meus seguidores...
Prazer Chrys!!!
Linda a poesia...

Não importa realmente o que desejava o que queria...
Pois, sem saber já havia escolhido...
Talvez mesmo sem querer...
As cartas são intrigantes...
Sempre nos traz a surpresa...
São misteriosas e fascinantes...

Um lindo dia Jacqueline !!!
Bjs...
;)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails