segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Boca Suja


Palavras, palavrões, os impropérios
mistérios da minha língua
e insondada alma.
Levaram tantos anos pra sair de onde estavam
- sabe lá onde é que estava tudo aquilo! -
Escondidos sob a timidez ou um verniz transparente,
a classe dos decentes,
talvez mesmo acometidos de um pudor inexplicável.
Saíram boca à fora, coração brincando de rasgado
misturando raiva e riso descabidos
até se tornarem quase naturais...
sem nunca se despirem naturais.
Doeram ouvidos, dispensaram comentários, fomentaram,
foram o momento de quem nada tinha o que dizer a mais.
A boca... a boca dela... a boca daquela cadela se abriu!



(Amanheci num dia de sol, sem a enxaqueca fuzilada de ontem, ouvindo The Clash, London Calling... Tô como eu quero!)

2 de papo!:

Anônimo disse...

Kika, apesar do título tu nunca será, terá cobaca suja...
Podes até tentar, mas ser eu duvido não seria a Kika que conhecemos. Mesmo sabendo que as veses...
Muito bom.
Eu

Genario disse...

Quem não falou um palavrão?
Tudo tem seu momento. Até eles.
Se não, de que adiantaria eles existirem?
Abração

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails