sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Redenção


Chama acesa, iluminava vagorosa
como lanterna preguiçosa
passando de mão em mão.
Só o calor era intenso e envolvente
Acarinhando os passos dos mais tensos
se desdobrando em abraço pagão.
A vida que dali se ia lenta acenava
e mais longe se ia mais se via a luz
pois que dentro dela se abrigava
a paz que aos sonhos mais conduz.
Redenção, enfim o antídoto da dor
surgia sóbrio entre as cores da beleza
tampouco mais valiam as fraquezas
ali estava enfim o dom do amor.



(Se as pálpebras lentamente baixam, os olhos fechando para a luz espera a noite, a força maior virá dos sonhos que repousarão sobre os ombros da vida, todo o cansaço)

3 de papo!:

T@CITO/XANADU disse...

De que é feita a luz?

A luz é feita do olhar
deslumbrado.
É o luar, das pálpebras
sazonadas no prazer.

Não há limites para ela,
só o incontido.

P A Z !

Kotta1947 disse...

Menina gostei muito de ler o teu poema, andava em passeio e fiquei deslumbrada com o que li.És uma pessoa iluminada. Bjo.

zuleida disse...

Lindo!! Beijo
Zu

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails