sexta-feira, 30 de abril de 2010

Saudades tantas

Saudades são coisas estranhas. Sensações que muitas vezes a gente preferiria não ter porque tê-las, claro, significa não estar mais perto, não ter mais.
E como o tal do colesterol, vivemos nós as saudades boas e as ruins. Temos saudades boas de tempos que ficaram para trás e de pessoas que dele fizeram parte. Temos saudades ruins, doídas, de momentos que insistentemente queríamos de volta. E gente também.
Damos um passo adiante e a já a saudade nos aponta o passado: ontem, lá, aquela pessoa. E seguimos com o sentimento nostálgico de que poderia ter sido diferente. Poderíamos não estar sentindo saudade.
Como é imperativo seguir - em rio você navega, nada ou se afoga - a vida vem logo fazer a cobrança. Vai ou não vai? Segue?
E a gente, como um barquinho de papel, enche a vela de saudade e parte. Porque é isto, a saudade. Boa ou ruim, ela nos acompanha durante a viagem.
E com tanto vento na vida, a vela-saudade balança, abaixa, sobe... Mas acaba nos levando adiante.

2 de papo!:

Suziley disse...

Sempre sentimos saudades mesmo...um ótimo final de semana prá ti, Jacque!! Beijos, ;)

Andre Luis Aquino disse...

Vim aqui por linhas certas, mas por céus infinitos,sou passáro de fogo que migra pra qualquer lugar do mundo.
Parabéns pelo seu blog!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails