segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Falácias


Se eu te disser, assim, deste meu jeito, poeta...
que eu não sei e nem sei se o que sinto é do peito
ou se marcado foi e escrito está sobre a testa
se foi um mal dito ou um muito bem feito...

Se, poeta, em minhas minúcias e entrelinhas
digo mais do que em falaciosas palavras
sai de mim o que é flor e erva daninha
sai desta terra que em mim tu lavras...

Me conta, poeta, me diz, me ensina
como eu faço para abandonar a menina
sem demonstrar na tinta o segredo.

Fingindo ser, poeta, só fingindo
pretendendo ir mas nunca indo
crescer mais longe que este breve enredo.

2 de papo!:

O símbolo disse...

e o que não é falácia? fico eu aqui pensando...

amor eu não sei, admito, foge à minha compreensão

Não abandonas...segue que a "a coisa vinda do peito" funciona...às vezes. Todo mundo finge.

Beijos!!!!!! Bom início de semana pra você (e pode uma coisa dessas ser boa??)

O símbolo disse...

e o que não é falácia? fico eu aqui pensando...

amor eu não sei, admito, foge à minha compreensão

Não abandonas...segue que a "a coisa vinda do peito" funciona...às vezes. Todo mundo finge.

Beijos!!!!!! Bom início de semana pra você (e pode uma coisa dessas ser boa??)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails