sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Versos versos


Cortinas de fumaça encobrem
o ardor do fogo interior.
São olhos fechados.


Borrão sem forma no papel seco
dolorido coração.
A lágrima esquecida.


Passa rápido a palavra
pelo ouvido surdo.
E cai o silêncio.

2 de papo!:

Gabriel Gómez disse...

Oi... estou vindo do Blog da regininha e gostei o que encontrei por aqui... O poema é lindo... Fala do mesmo silêncio do meu último livro (Cerimônias do Silêncio) e de muitos que ainda escrevo e publico... Apareça lá também para compartilhar aquilo que cala...

pauloa disse...

Maldita dor de cabeça!!!
Força jacquelie força
Eu

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails