terça-feira, 23 de novembro de 2010

Sentença


Há uma dor profunda me batendo à porta
inesperada e triste e vã sua presença
trazendo em si uma tão forte crença
de que há bom tempo eu já estava morta.

Invade a casa, derruba, tropeça em seus ruídos
quebra meus vidros e arrasa o espaço imenso
toda colheita ao fogo como uma sentença
me condenando por já ter sofrido

Ah dor, que dor, qual é tua desculpa?
se eu sozinha, tão pequena só te sinto intensa
se nada mais me vem e em nada mais eu penso?

Tua faca é feita de veneno e culpa
e que passado vivo ou morto lá compensa
se assim te vejo sei que já não venço...

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails