terça-feira, 23 de novembro de 2010

Veneno derramado


Há pimenta nos teus lábios
e o teu o leve rubejar ao me ver
me faz tecer comentários imaginários
me abre o apetite
e me larga sem nexo.
Tua figura parada ali
perto da porta
é só malícia.
Ou estaria a maldade
nos meus lábios sedentos
e em meus olhos imaginativos
que abrem meu apetite
e te prendem em meus versos?
Há nos teus lábios um encarnado
de sangue pulsando
Há nos meus lábios veneno
de corpo pulsando
Tanto condimento e só uma condição:
esquecer o tempo
e verter a paixão.

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails