quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Vida alheia


Meus olhos, repentinamente alheios, percorrem tua face e nela encontram um espelho para todas as emoções abandonadas. Aonde fomos parar, nós que já fomos nós?

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails