domingo, 5 de dezembro de 2010

Passos sozinhos


Passos pausados, passos pesados. A bengala apoiando o chão ele ía, uma perna de cada vez. Não percebia mais o peso das pernas mas sentia o peso da vida quando se via caminhando pela rua sozinho. E nele vinha então um desejo impossível de correr, correr, correr e tentar alcançar o que já tinha ficado para trás num passado costumaz e negado.

(Foto de dreaminfinity )

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails