sábado, 9 de julho de 2011

PENSAR OU NÃO PENSAR EIS A RAZÃO


Se você parar para pensar significa apenas que resolveu refletir sobre alguma coisa sobre a qual já estava pensando. Porque como se sabe, não paramos de pensar. Na realidade, pensamos o tempo todo. Somos pensamento o tempo inteiro. Vivemos de atos e pensamentos mas certamente bem mais de pensamentos do que de atos.

E falando disto... se faremos efetivamente destes pensamentos alguma outra coisa, é uma outra história. Poderemos transformá-los em atos, palavras, obsessões, sonhos, razões, tantas coisas! Apenas, depois que os libertamos (transformamos!) o caminho é praticamente sem volta.

O pensamento é ainda nosso último e único quarto secreto, o quarto escuro onde revelamos nossos filmes, o esconderijo de infância onde guardamos nossos brinquedos prediletos, o cofre forte onde estão nossos grandes segredos. Porque não mintam: todos temos segredos! E este lugar, o pensamento, é o canto onde ainda não entram câmaras indiscretas, a invasão tecnológica não abocanhou sua parte. Imagine o pesadelo de ver seus pensamentos segundo a segundo desfilando nas redes sociais para toda a sua rede de amigos (conhecidos, desconhecidos, aparecidos, reencontros)!

Sorte a nossa, no pensamento ainda não há como penetrar. Somos nós que decidimos tornar nossos pensamentos públicos ou não.

Pensar é uma espécie de diálogo entre o eu racional e o outro eu, aquele que chamamos de um monte de nomes, inclusive de coração, alma ou mesmo de nome algum. Pensar é como resolvemos assuntos, como nos distanciamos de certas situações e como nos envolvemos com outras.

Muitos aprendem a meditar para lidar melhor com os pensamentos evitando que eles se transformem em verdadeiras multidões faladoras e com isto podendo ter momentos de paz e relaxamento. Outros aproveitam os instantes em que os pensamentos são mais falantes e deles tiram o que chamam inspiração e escrevem, pintam, fazem artes que depois espantam o mundo.

Pensamentos foram muitas vezes confundidos com vozes e chamados de problemas mentais. Ganharam nomes medicinais, remédios, tratamentos. Alguns se dão bem com isto, compreendem, se medicam, passam a querer saber apenas de seus próprios e velhos pensamentos. Outros se revoltam, duelam com os pensamentos ou se tornam companheiros das vozes. E partem para outros universos .

Pensar não é necessário e nem uma obrigação. Pensar é simplesmente uma razão de ser. Como respirar. Ninguém vive sem. Não há como não pensar.

Você pode não falar, pode não ver, pode não ouvir. Mas o pensamento sempre estará em você.

Ele é você.

(Imagem by Kosmur)

2 de papo!:

Regina Carvalho disse...

Quando eu era criança,queria brincar de NÃO PENSAR! Nunca consegui, hehehe.
Gostei, gostei. bj (de uma madrugada fria no sul do Brasil, o inverno mais frio dos últimos 47 anos!).

Jacqueline disse...

Pensar é um caso sério... parar de pensar é um caso de polícia :))))
bjos minha querida!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails