domingo, 18 de setembro de 2011

Porta giratória


Presas nos dentes

as palavras
cortadas
... afiadas
continuavam
a soltar veneno
não podiam ser engolidas
e assim nem mesmo
ser vomitadas
as palavras
atadas na língua
forçadas no calado estado
do silêncio obrigado.
Na porta giratória
da boca entre o selvagem e o doce
entre o salgado e o almoço
no meio de toda história...
As palavras
Traídas
Subtraídas
Invertidas
continuavam
entre o mais e o menos..
não poderiam mais
ficar escondidas
e por isto mesmo
encarceradas
As palavras
morrendo à míngua
entaladas no medo perverso
de ser o inverso
da memória.

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails