domingo, 5 de fevereiro de 2012

Faz de conta

Faz de conta que eu morri hoje.
Que todas as palavras que irias me dizer não poderão mais
ser ditas.
E todos os abraços que e sorrisos que iríamos trocar
não acontecerão mais.
Faz de conta que ficaram mudas as falas cotidianas
e as brincadeiras se foram junto comigo.
Faz de conta.
Perde a conta da importância que pude ter 
na tua vida.
De tudo o que eu poderia ainda ter dado
ou recebido.
Faz de conta.
Fecha os olhos e percebe o mundo sem mim...
e vê então só que engraçado:
ele vai estar exatamente no mesmo lugar
as mesmas coisas acontecendo
e os dias amanhecendo e anoitecendo
tudo tão igual!
E o que não será igual
será somente o teu despertar do faz de conta
querendo me despertar
para ser o que não poderá mais ser.

Imagem by Oferla


1 de papo!:

Evelyn Cieszynski disse...

Se a vida fosse imaginada assim: sem as pessoas que nos marcaram, sem aqueles lugares com um tempo perfeito, sem aqueles detalhes que nos fazem sorrir, talvez a vida fizesse um sentido: o sentido de viver dentro de um mundo, onde a vida tem que ser dividida e compartilhada.

Talvez um faz de conta possa mudar a visão das pessoas dentro desse grande mundo, e entender que somos parte de um todo, de um universo. E talvez desse modo sejamos mais humanos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails