sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Do dito e não dito

Longo e pronunciado o desejo espalhou-se
sobre as palavras não ditas.
Desceu curvas, atirou-se em abismos
adentrou universos.
Fez-se água
e banhou o mundo.
Longo e impronunciável o desejo calou-se
sob as palavras ditas.
Voltou pelos olhos, engoliu a seco
encastrou-se no corpo.
Fez-se terra
e enterrou o mundo.
O desejo
existiu
e foi
longo.
Longo enquanto existiram
formas
de apaziguá-lo.


0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails