domingo, 9 de setembro de 2012

LINHAS DE TEMPO E DE VENTO

Tempo
tuas marcas gravam meu rosto
como unhas cravadas, tão fundo lá estão.
Mas teus benefícios, algumas vezes impostos,
habitam docemente o meu coração.
Tempo, eu não te busco mais.
Te deixo chegar.
Não te persigo e nem insisto para que permaneças.
Não quero que venhas rápido
que passes voando
ou que chegues e pares.
Deixo-te vento, a passar, a trazer, a levar...
E vivo contigo o instante,
cada instante
eterno instante.


Imagem by young1and1hopeless

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails