segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

SEM FANTASIAS

Fantasias à parte
jogadas no chão
espalhadas na mente
agarradas na mão...
finalmente nua
decididamente uma
sem mais artifícios...
Eis que ressurjo não das cinzas
mas do próprio fogo
ressupinada
toda trocada
invertida
revestida de nada...
Porque quis ser eu mesma
resolvi dar sumiço
nos sonhos e avisos
alertando pra vida...
Fantasmas do sótão
atirados na rua
e os disfarces rasgados
e eu toda nua
resolutamente uma
aquela que sempre
quis ser.



Poema publicado em janeiro de 2011 neste blog

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails