quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Valores marcados

Todos têm um preço ou há um preço para cada um? Se você tem um preço está ele estampado, marcado, datado ou só foi dito, no boca a boca, para ser lembrado?
O preço de cada um nem sempre é o preço de todos mas o preço que todos têm é o que cada um admira, exalta, exala ou aspira.
Denigre, exige, se inspira. Engole, atira ou consome.
Ter preço não é estar à venda. A venda são outros quinhentos. A venda pressupõe o dono. E o dono pressupõe compra anterior.
O preço pode ser só o valor. O simbolismo da coisa. Preço simbólico. Valor real.
Nem todos quem têm valor se vendem, mas muitos que não têm valor se entregam por nada. Se trocam, se dão. Se tornam mercadorias pelo simples querer.
Questões de lá e de cá, afinal: todos têm um preço, há um preço para cada um?
Ou os valores simplesmente não são preços?

Texto e desenho de Jacqueline Aisenman


0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails