segunda-feira, 22 de julho de 2013

Destino, destino

Incógnita desfilou diante dos seus olhos sua beleza.
Ele poderia ter visto, ter apreciado, ter conhecido, ter amado.
Mas seus olhos varriam o chão. Como sempre.
Depois ela virou a esquina.
Depois ele ergueu os olhos, por um instante apenas, viu a rua, um pedaço do céu e uma ponta de vestido que balançava.
Mas já era tarde para ambos, o amor ali não aconteceria mais.
Destino, destino.

Imagem by Gorilla Ink

0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails