segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Pensando alto

Jogo palavras fora. Fora de mim. Fora de meu coração. Fora de minha alma. Fora de meu corpo. Fora de tudo o que eu possa ser. Palavras fora. Eu jogo. E ela saem de mim perfurando o corpo, abrindo os poros, escrevendo dores. Palavras saem, palavras jorram, fora da minha alma e da agonia sentida. Um parto. Parto e não sei se volto. Parto e os pedaços se espalham. De mim. De meu corpo dilacerado. Das partes de mim. Do tanto que fui ou que imaginei ser. As palavras que se cantam, as palavras que se rezam, as palavras que enganam, as palavras que entopem as veias. Palavras fora e dentro. Dentro e fora.


0 de papo!:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails