sexta-feira, 24 de abril de 2015

Salão do Livro e da Imprensa de Genebra com o Varal do Brasil

A partir de hoje até o dia 4 de maio estarei no estande do Varal do Brasil no Salão do Livro e da Imprensa de Genebra.
Voltarei no dia 5 de maio com as postagens normais!
Até!

Deixo com vocês meu site: www.coracional.com
O site do Varal: www.varaldobrasil.com

Obrigada!


Clique na foto para aumentar



Tristeza

Faleceu minha tristeza. Eram duas horas da manhã, eu recém acordava de um sonho que me trouxe felicidade. E foi assim que ela se foi, a tristeza que comigo dormiu... diminuiu-se diante do bem-estar que me contagiou. Afugentou-se de ver comigo um sorriso que não lhe cabia. Mas o problema com a tristeza é que ela morre e ressuscita. Pode levar tempos, mas ela ressuscita... Foi quando resolvi dormir mais um pouco, beber daqueles sonhos mais um pouco, aproveitar da calmaria do sono mais um pouco. Depois seria depois.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Meu silêncio

Meu silêncio não é de ouro.
Ele não tem preço.
Dentro dele estão todas as palavras
que você talvez não mereça ouvir...
que você talvez não deseje ouvir...
que você talvez já se cansou de ouvir...
que você talvez nunca irá ouvir.

Pensando alto

A caneta observa o papel...
ela sabe o que dizer.
Saberá a mão que a toma entre os dedos?
Segredo!

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Imagina ação

No sonho acordado tua presença
me alimenta.
Pois te tenho comigo
mesmo com tua ausência.
É bom poder usar a imaginação...
colocar um pouco de pimenta
nesta calada paixão.

Estrelas no céu

As estrelas riem no céu.
De tanto rirem felizes
algumas caem
trazendo a felicidade
aos que olham admirados...

terça-feira, 21 de abril de 2015

Pensando alto

O que esperar da vida a não ser o que ela mesma decida nos oferecer? Nossas lutas são constantes, as esperanças inconstantes... Vitórias e derrotas, ganhos e perdas... Viver é estar em constante movimento sobre uma corda bamba.


Será?
Se quer estragar o futuro, planeje!


Sempre me disseram que o céu é em cima e que o inferno é embaixo. Que o inferno é quente - nenhuma notícia sobre a temperatura do céu - muito quente. Que o céu é o paraíso e o inferno, bem... o inferno é um inferno. Ando aqui com minhas questões a querer saber de onde, de que imaginação surgiu tudo isto. Deixando de lado as religiões - elas sempre misturam tudo e acabam causando brigas - eu acho mesmo é que o céu é o azul infinito que a gente vê - sem saber se há moradas ou não em sua infinitude - e o inferno, ah, o inferno!, este, sem dúvida, é aqui mesmo como já afirmaram antes. E que ninguém tenha dúvida desta última afirmação: aqui se faz... aqui se paga


Sessenta por cento de mim são dúvidas.
Trinta e cinco por cento são questões.
Tenho cinco por cento de certezas.
E estes cinco por cento de certezas
já foram por muito tempo dúvidas
e também questões...
Coisas de pensar e de ter o coração no pensamento.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

As palavras em mim

Eu poderia engolir as palavras
e não mais dizê-las.
Engolir todas...
e não mais escrevê-las.
Eu poderia fazer secar este mar de palavras
que vive em meus pensamentos...
Poderia tentar ao menos...
para nem mais vê-las!
Eu poderia arrancar do coração estas palavras
deixar o coração vazio para outras coisas
que não fossem palavras...
Mas... e depois?
E depois de engolir, de secar, de arrancar de mim...
o que faria eu sem palavras?
Como viveria a fome das palavras?
Como viveria a seca das palavras?
Como viveria o pedaço de mim sem palavras?
Eu não sei...
Talvez não fale mais todas elas...
talvez escreva todas elas e esconda num canto...
talvez...
Mas sem palavras viver seria um martírio.
Seria me permitir morrer ainda em vida.
Seria viver no vazio de um abismo...
Eu não seria mais a mesma
sem palavras...



sexta-feira, 17 de abril de 2015

Mindins sobre o vento


quinta-feira, 16 de abril de 2015

Bolhas de sabão

Bolhas de sabão
flutuam pelo ar.
Cheiro bom...
um sopro
as faz voar...
Tempo bom...
brincadeira
de pegar...
bolhas de sabão
colorindo o espaço
a alegrar...


quarta-feira, 15 de abril de 2015

Pensando alto

Tanto faz se o dia está escuro ou a noite está clara. Tanto faz. Tanto faz se chove lá fora ou se o sol brilha radiante. Tanto faz. O que importa mesmo é como está dentro de você. Se está claro, escuro, se chove, se brilha... Não se deixe ficar sozinho nestas variações de clima interior, chame os amigos. Os verdeiros não tentarão entender os seus humores, pois eles pertencem a você. Mas eles, os verdadeiros amigos, lhe darão a mão, um sorriso e palavras de conforto. Amigos, isto importa.




Gosto do que é simples: simples de dizer, simples de ouvir, simples de fazer, simples de ser, simples de viver. O complexo e o afetado eu deixo pra quem gosta!

terça-feira, 14 de abril de 2015

Tempo para viver

Pretérito imperfeito
Futuro incerto
Presente inconstante...
O único instante
certo
para o seu jeito
de ser...
é entender
que não há momento certo
nem nada de exato
em viver!

Pensando alto

O tempo pode ser cruel com o corpo, mas é o amigo mais precioso da alma.

Estes escritores que vão morrendo e levando com eles tantos sonhos. Deixam a palavra escrita para que a gente não se perca no caminho até o dia do reencontro final.

Antes de apontar o dedo para alguém faça dupla verificação de si mesmo. Antes de criticar uma situação, avalie bem todos os lados. Antes de falar mal ou de julgar alguém... veja se não há nada melhor a ser dito. Um dedo aponta; um dedo diz que está ok. Dois dedos chamam a paz. Não seja um crítico inútil, mas se quiser mesmo criticar, ao menos busque a utilidade para sua crítica!

Sonhar e não se contentar com o sonho, fazer dele realidade e vivê-lo intensamente. Sim. Viver mal a realidade e culpar o sonho ou os outros. Não.
Permaneça com o coração e os olhos abertos. Não só para o que você quer que seja, mas para o que verdadeiramente é.

Conversa

Tenho
tempo
para
gastar
com
prosa
com
verso...
conversa
em prosa...
ou verso...
quem
vem?


segunda-feira, 13 de abril de 2015

Mercado

No mercado
os gritos:
maçã, banana, peixe e tempero...
laranja, abacaxi, abóbora... ai os cheiros!
desespero!
escolher entre tantas coisas
boas!
as frutas, legumes, verduras
todas sorrindo cores...
trazendo à tona amores
de receitas de mãe.
Quando partir
vou de coração e sacola cheios
de felicidade
para casa.


sexta-feira, 10 de abril de 2015

Vento

O vento passa pelas frestas da porta...
passeia pelas peças da casa
levando com ele os cheiros
trazendo com ele os cheiros...
Lá fora ele balança as árvores e plantas...
balança os cabelos, despenteia, penteia...
as pessoas que apressadas seguem
sem nele prestar atenção.
O vento canta sua melodia em diversos tons
faz com o que acha os mais diversos sons...
Não deixa parado o papel que jaz no chão!
Não deixa esquecida a fruta que ainda não caiu!
O vento atravessa os montes, os rios, as ruas...
passa quase cortando o rosto dos desprevenidos
ou de tão leve e breve torna-se apenas uma carícia...
Ele sopra, faz levitar as folhas das árvores
ele canta, ele assobia, ele grita...
Vento de lá, vento de cá, vento de onde vier...
Em sua força está o ar que nos faz viver!


quinta-feira, 9 de abril de 2015

Pássaro feliz

Bateu

asas...

voou...

a ave,

suave,

ganhou
os céus...
flertando com
o infinito
colorindo o azul
cantando
sua
liberdade.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Paz onde estiver

Onde houver paz
estou.
Onde se falar de paz
estou.
Onde se desejar a paz
estou.
Meu coração é de paz
Minha alma é de paz.
Meu desejo para o mundo
é paz.

terça-feira, 7 de abril de 2015

O sentimento que ficou

Sua imagem, a mesma.
Por dentro... não sei.
Eu mudei? Você mudou?
O que mudou em nós?
Tenho lembranças
que talvez você não tenha...
Como tive esperanças
sem que você as tivesse...
Ou teve? Ou tem?
São tênues as linhas
entre os sentimentos
quando sabemos que
sentimento existiu.
Eu olho para o lado... para não te ver.
Você olha pra o lado... para não me ver.
Ou será que olhamos apenas
na mesma direção?
Aquela dos restos infinitos, poeira celeste
faísca dos fogos de artifício
quando sequer aconteciam..
São frágeis as linhas
entre os sentimentos
quando sabemos
que ele não partiu.

Imagem by martasyrko 


quarta-feira, 1 de abril de 2015

A PÁSCOA CHEGANDO...





Versando, versando

Parto imediatamente.
...sem um instante para trás, parto.
e num excitante momento, renasço!


Conto nos dedos
os momentos felizes.
Cadê a terceira mão?


O poema é curto
as saias médias...
só a paciência é longa.

O poema é longo
as calças curtas...
só a expectativa é média.
O poema é médio
o vestido é curto
só a respiração é longa...
Curtos, médios e longos
dentro do tempo todos iguais
todos minutos, horas e tais...

A máquina de escrever, no canto
observa o computador com espanto...
ele não usa o papel!

A pressa está nos meus passos
nos meus sapatos, os calos...
caminhar às vezes dói...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails