sexta-feira, 29 de maio de 2015

Volta e meia

Volta e meia
faço
meia volta
e volto
onde
havia estado.
Ao estado
primeiro,
antes
das voltas
da vida.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Meu caminho

Se houvesse pressa nos meus passos
talvez eu fosse mais longe.
Mas não há.
Meu caminhar é tranquilo...
Piso o chão com firmeza
enquanto vivo o que em volta dele há.
Olho a paisagem, encontro pessoas, aceito o que me é dado de bom.
Recuso o mal. Afasto de mim o mal.
E continuo a caminhar...
Talvez eu não chegue tão longe
quanto um sonho mostre, ou quanto esperam os outros.
Mas quem disse que o mais longe
é o melhor?
Caminho serena.
Irei somente até onde meu coração me levar!

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Pensando alto

É quando se está com os verdadeiros amigos, ao sentir vibrar a alegre energia da amizade, que a gente fica ainda mais alerta para "detectar" os falsos amigos... A amizade sincera é tão óbvia que os demais "laços" acabam parecendo absurdamente enganadores. Viva os amigos de verdade!




O principal elo entre as pessoas é o respeito mútuo. A partir daí florescem todos os sentimentos. Sem respeito, não há coisa alguma que possa fazer com que as pessoas se deem bem.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Pensando alto

Muitas vezes é difícil saber o que é melhor para nós. Olhamos em volta e vemos opções e em certos momentos todas podem parecer boas. Neste instante, quando a dúvida nos toma, o melhor a fazer é buscar a resposta no mais íntimo de nós. Porque é lá, no mais profundo da gente, que está o coração do universo do qual fazemos parte.




Respondo tantas coisas com meu silêncio! Algumas nem mesmo porque não mereçam ser respondidas, mas simplesmente porque, no caso, a eloquência do silêncio é bem mais convincente e verdadeira.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Eu amo os ventos!

Só eu posso falar mal do vento. Ninguém mais. Como falar de mãe, de irmão, coisa assim. Porque eu amo o vento, amo suas peripécias, sua arte, suas doideiras. Amo quando vem manso e amo também ouvir seus cantos bárbaros. Mesmo se me assusto quando ele se transforma em ventania desenfreada, mesmo se temo sua força. Só eu posso falar mal do vento e dele dizer coisas chatas ou abomináveis. Ninguém mais. Porque meu amor por ele é maior do que as raivas que sinto, meu sentimento é de paz e quando ele passa por mim se acalma junto em meu coração. O vento é meu companheiro, me lembra o mar, me traz seu cheiro; me lembra os campos, levanta e carrega consigo o cheiro de mato. E os cheiros de mar e mato enchem meus dias de vida, fazem de minha vida um recanto natural de amor. Só eu posso falar mal do vento... ninguém mais... a não ser que aprenda a amá-lo como eu!


terça-feira, 19 de maio de 2015

O voo

Meus voos são sempre em direção ao infinito. É lá que não estão as barreiras e onde com certeza se esconde o arco-íris. É lá também que estão todos os céus e onde certamente encontrarei os que já não estão entre nós. Gosto de voar livremente, meio pássaro, meio pluma, os olhos fechados para este mundo e abertos para onde os sonhos se manifestam. Quando voo não pertença a lugar nenhum, aliás, não pertenço nem a mim mesma. Faço parte do universo e o universo faz parte de mim. O voo é minha chave para lugares que só existem para poucos.


sexta-feira, 15 de maio de 2015

A vida é curta

A vida é curta. Não adianta calcular por idade, o tempo sempre será pouco para tudo o que vamos inventando e criando pelo caminho; para os sonhos que vamos construindo e para os laços que mantemos. A vida é curta sim. E ela precisa ter prioridades. Sem prioridades a gente se perde pelo caminho fazendo tantas coisas desnecessárias enquanto a verdadeiramente necessárias e importantes vão ficando para trás, deixando um gosto amargo de arrependimento. A vida é curta e é preciso ser esperto: eliminar tudo o que não nos faz feliz de verdade, desaparecer com tudo o que incomoda, sumir com tudo o que nos deixa com más sensações. Assim, vivendo com e pelas pessoas certas, fazendo o que se gosta, para satisfação pessoal... a vida pode até ser curta, mas ela será plena!

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Repensando

Ando repensando tantas coisas. E com estes "repensamentos" ando também repisando certos caminhos que fiz. Na memória eles não me parecem tão duros, mas também já não me parecem tão lindos assim. Ando repensando vontades, sonhos, itinerários de vida... Ando repensando objetivos, diretrizes... Enfim, ando repensando minha vida. Sei que não sairei imune de tanto repensar. Provavelmente mudarei muitas coisas em mim e nas coisas que me rodeiam; no que faço e naquilo que sempre quis fazer. Mas serve pra isto pensar. Para criar e recriar, para mudar. E eu sinto que estou precisando de mudanças, muitas mudanças. Mudanças drásticas em algumas coisas e mudanças muito calmas em outras. Em todo caso, de tanto repensar com certeza eu mesma já sairei mudada destes últimos tempos para o futuro.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Estou dando um tempo

Estou dando um tempo. Um tempo para voltar a amar as coisas que deixei de amar pelo caminho. Estou dando um tempo para mim mesma e para tudo o que hoje apenas me tira a paciência quando era para me fazer feliz. Quero ler livros esquecidos na estante; quero vestir roupas esquecidas do guarda-roupas; quero ver fotografias esquecidas em álbuns... Quero dar um tempo... deixar o presente rolar seus dados e não pensar logo depois dele vem um futuro apressado em se tornar passado. Preciso urgentemente me dar um tempo. Para esquecer futilidades que chegaram a tomar uma importância muito grande sem que eu nem percebesse. Para voltar simplesmente a ser feliz.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Por conta de meu silêncio

Ao invés de falar, faço silêncio. Porque minhas palavras talvez soassem duras demais. Porque minhas feições ao falar talvez ficassem duras demais. Mas eu não me engano, o peso do meu silêncio é tão grande quanto o mundo em mim que o acolhe e as palavras caladas me cortam por dentro como se facas afiadas fossem: cortam os órgãos, a carne, a pele. Nada fica imune. Mas o tempo irá passar e minhas palavras caladas ecoarão em outros silêncios. O tempo, mestre supremo, me dará razão e minha voz surgirá dos abismos para enfim dizer o que deverá ser dito. Ouvidos incautos, preparem-se! Ouvidos ingratos, preparem-se! Do fundo do silêncio brotará a verdade, somente ela, para florescer entre nós.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Urgência

É urgente que eu te veja:
que eu te reconheça na multidão
dentro do infinito de meu coração
é urgente...
É urgente que eu te fale:
sobre tudo o que poderia nos acontecer
sobre tudo o que pudemos viver
é urgente...
É urgente que eu te toque:
para sentir a pele que me me envolve
e destruir a sensação que a vida me devolve
é urgente...
E esta urgência tem nome, o teu nome
ela tem sentimentos, os teus
que cavalgam com ardor os meus
incendiando mais que apaziguando minha fome!

terça-feira, 5 de maio de 2015

Até quando

Não sei quanto tempo tenho.
Não sei o que me espera.
O tempo, a esperança, tudo é futuro...
e eu nada sei dele, o futuro.
Sei apenas da angústia sangrenta
de pensar, pensar e pensar...
até quando?
até quando?
até quando?
Por isto trago no bolso as lembranças...
para com elas viver de bem com o passado e o presente...
e assim não pensar sempre e sempre:
até quando?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails