sexta-feira, 24 de julho de 2015

FÉRIAS DE VERÃO



Olá meus amigos!


Estarei de férias até o dia 23 de agosto!
Voltarei ao blog no dia 24 de agosto!

Agradeço a todos que acompanham meu blog e meus trabalhos!


Deixo aqui um grande abraço e até breve!



quinta-feira, 23 de julho de 2015

Pensando alto


Uma senha por favor para o silêncio... GRITO!




Flor abre preguiçosa. O sol mimando uma lágrima de chuva.




As vezes dou voltas sem sair do lugar. Como um cachorro ou um gato brincando com a cauda. Me sinto perdida. Me sinto desencorajada. Mas é só pra depois erguer a cabeça e ver que o céu continua lá... que a terra continua sob meus pés... que as alternativas continuam dentro de mim. Então recomeço a viver.




As palavras se distanciam quando tento encontrá-las para definir a vida.... Então desisto de definições pego as palavras e brinco faço poeminhas... E é com as letras, brincando que acabo definindo a vida: tudo é poesia!

quarta-feira, 22 de julho de 2015

VERBO E POESIA

Eu poeto (e poemo, poesio, faço um pouco de tudo com a poesia...)
Tu poetas ( e poemas, poesias.. fazes de tudo um pouco com a poesia...)
Ele, ela poeta (e poema, poesia... faz um tanto e mais com a poesia...)
Nós poetamos ( e poemamos, poesiamos... fazemos tanto com a poesia...)
Vós poetais (e poemais, poesiais... fazeis tanto e tanto com a poesia...)
Eles, elas poetam (e poemam, poesiam, fazem de tudo com a poesia...)
E a poesia conosco faz o que quer Porque ela, feminina, linda e mulher
sempre vence o que der e vier!


terça-feira, 21 de julho de 2015

Incêndio

Teu toque é um incêndio
fogos de artifício
na noite da paixão.
A falta do teu toque
é seca...
é sede...
que somente teus lábios
que somente tuas mãos
podem acalmar.
Em teu ombro dorme o desejo
satisfeito.
Em teus olhos resiste o desejo
rarefeito.
E em nós permanecem
os efeitos
do incêndio
os efeitos
dos fogos de artifício
da louca paixão.


segunda-feira, 20 de julho de 2015

Fascínio pela noite

Sei do fascínio que exerce a noite sobre mim. A noite e sua quietude, seus tons escuros, seus brilhos casuais. Tenho paixões: a lua que se mostra como uma dama, apenas por partes, meio distante... ou como uma devassa: inteira, luminosa, quase me tocando com sua beleza tão próxima. Também sou apaixonada pelas estrelas... Todas elas tão distantes, mas fulgurantes como se daqui de baixo tivéssemos acendido todas as luzes do universo. E de vez em quando, quando não se espera, uma estrela corre o céu, finge cair, finge morrer. A noite que cobre a Terra com sua escuridade para que possamos relaxar... deitar... fechar os olhos e partir através do sono para o mundo nada virtual dos sonhos. Os sonhos que tantas vezes são ainda mais reais que a realidade ela mesma e que deixam marcas na gente como se fossem lembranças eternas. Amo a noite! Amo sua proposta de descanso e ao mesmo tempo seu desejo de festa e deleites. A noite que chega cheia de propostas! Gosto de observá-la, senti-la, saborear seus momentos intensos. Até a chegada dos primeiros e tímidos raios de sol. Até o clarear do céu infinito. Até que as estrelas partam dormir. Até que não haja mais vestígio de sonhos... Até que o dia domine as horas e faça da noite prisioneira até o final do entardecer...


Imagem by pygar

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Escolhas



Porque poderia ser...
Mas não foi.
Outra coisa aconteceu.
Porque poderia ter...
Mas não teve.
Outra coisa veio.
Porque poderia viver...
Mas não viveu.
A vida aconteceu de outro jeito.
Porque poderia...
Mas...
A escolha feita
não permitiu...
ou permitiu outras coisas!
Escolhas são caminhos, encruzilhadas na vida
que podem levar a qualquer lugar.
A vida é repleta de escolhas
e não há espaço para medos ou arrependimentos.
Se fosse, se tivesse, se vivesse, se pudesse...
O se simplesmente não existe.



Imagem by Joshua Towne

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Totalidade

Põe na minha mão
a flor do teu desejo.
Que eu não sei de nada
Além da vontade
de te fazer feliz.
Tua felicidade
é a minha
porque já me completei
há tanto tempo!
Me completei acreditando em mim
fazendo caminhos escarpados
que me renderam tombos,
mas também a visão única
de flores perdidas.
Deixei de ser partes há tanto tempo!
Deixei de ser partes para ser toda
em emoções, arranhões, cortes e suturas...
Cicatrizes de corpo e alma!
Por isto hoje eu posso te pedir sem constrangimento
e sem medo:
Põe na minha mão, confia...
a flor do teu desejo...
Porque eu sou feliz, eu posso também
te fazer feliz!


terça-feira, 14 de julho de 2015

Conhecer-se

A aventura
de se aventurar
dentro de si mesmo...
Conhecer-se
profundamente
profunda mente
a mente
que tantas
vezes
mente...
Saber de si
de seus defeitos
e virtudes...
as razões e os fatos...
tentar melhorar
tentar melhor ser...
em comunhão com o universo
viver
face a face
com a realidade
de um vida nem sempre fácil...
conhecer-se
além da razão.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Estados de solidão

Solidão é estado de espírito.
Bate assim, em qualquer lugar...
não importa onde
não importa como
e nem mesmo quem está por perto...
Solidão anda de braços dados
com a saudade...
Incomoda, pois é soberana
ao tomar o coração para si
e esvaziá-lo de tudo que é bom.
Solidão quando o mundo inteiro
parece ter desaparecido
e nos esquecido completamente...
Solidão quando todos estão por todos os lados
tantos todos, tantos todos, todos tantos...
e mesmo assim a gente se sente
despejado da vida.
E o que cura a solidão?
Nada cura além do tempo.
O tempo que é o remédio mais preciso
necessitado
para o coração.

Imagem by Logas 69


sexta-feira, 10 de julho de 2015

Pensando alto


Hoje o dia fará uma pausa: ele não dirá nada, o silêncio será seu rei.
De repente as horas passarão mais lentas, a espera será de ordem. Haverá menos nuvens no céu, talvez elas se deitem sobre a relva ou sobre o leito do rio.
Os pássaros cantarão notas tristes e não farão danças em seus voos. As flores estarão murchas e suas cores se desvanecerão diante da calma inusitada.
Hoje o dia fará uma pausa, grande pausa... porque haverá menos uma voz para cantar sua glória.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Viver além da sobrevivência

Eu vivo
e algumas vezes sobrevivo.
Vivo os momentos
mas em outros momentos
sobrevivo.
Viver nem é tão simples
e se deixar ir também não...
sobreviver
é quase partir...
querer o nada a partir do tudo.
Respiro.
A respiração curta não desce até os pulmões.
Falo.
A fala silenciosa não sobe até a boca.
Viver não é o mesmo que sobreviver.
Sobreviver não é viver
sobreviver é perecer, padecer, pretender...
enquanto a vida é brilho
a sobrevivência é a vida com seus empecilhos...
Mas eu vivo
mesmo se noutras vezes apenas sobrevivo.
O coração batendo insolente
e a mente batalhando sobre as emoções.
E sobrevivo...
sobrevivo
a tudo o que me faria morrer...
a tudo o que me faria desistir.
Viver é parir coragem
sobreviver é a imagem...
E eu vivo
sobrevivo
ao que não posso explicar.



quarta-feira, 8 de julho de 2015

Pensando alto

Não vou me desgastar fazendo coisas que não gosto.
Não vou me corromper fazendo coisas que não acredito.
Não vou me destruir fazendo coisas que não me fazem bem.
Minha lei maior é a lei do amor e por ela vivo, ajo, sinto...
O que não é amor pode permanecer afastado de mim.




A nuvem passa branca pelo céu completamente azul. Ela passeia pelo infinito e vai aos poucos se desfazendo... Não esperará para tornar-se cinza, para se transformar em água e voltar às águas que com o calor a fizeram ser o que é... A nuvem nem formou desenho... apenas coloriu um pouco o azul e desfez-se... Enquanto isto o brilho do sol se fez onipotente, espalhando seus raios de calor. Esperando a chegada de outras nuvens, num outro dia, uma outra chuva!

terça-feira, 7 de julho de 2015

Toda palavra

Palavras, palavras, palavras...
tão ditas, repetidas à exaustão...
chegam a um ponto de nem ter mais razão.
Palavras, palavras, palavras...
gritadas, jogadas ao ar sem verdadeira motivação
que não seja a maldição.
Palavras, palavras, palavras...
despedaçadas, desperdiçadas sem emoção
faladas à esmo sem um pingo de coração.
Toda palavra dita
deveria ser abençoada pela boa ação.
Toda palavra deveria ser bendita!

Paint by Meghan Arts-Scozzari

segunda-feira, 6 de julho de 2015

A música e eu



A música começa...
Ela invade a peça
me toma nos braços
e me leva a dançar.
De repente somos apenas um:
a música e eu.
Passos que se entrelaçam
alegres no chão e no ar...
a música e eu
formamos um par.


Imagem by Vitaly-Sokol

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Equilíbrio

Tento manter o equilíbrio.
A mente e o coração em equilíbrio.
As pernas em equilíbrio.
Tudo para permanecer de pé...
olhos abertos para não perder de vista
a realidade.
Mas nada é tão simples...
A mente em geral faz pouco do coração
e o coração não compreende
o que a mente racionaliza.
As pernas, buscando um caminhar mais rápido...
falham!
Vem a confusão, o tombo, o medo.
Depois vem a dor. E depois da dor a compreensão.
E só depois da compreensão vem o desejo
de recomeçar...
a manter o equilíbrio.
Mas com direito a oscilações
tentações do corpo
e desordem na mente.

Imagem by Paulinquua


quinta-feira, 2 de julho de 2015

Passos, passado

Passos para a frente
encontram o futuro...
Passos para trás
Não encontram mais nada
porque o passado
se desintegra
em milhares de pequenas lembranças
espalhadas pelo presente...


quarta-feira, 1 de julho de 2015

Lágrimas de adeus



Na nascente dos teus olhos
um rio de lágrimas.
Gota a gota desliza pela face
a tristeza inteira.
Escorre lentamente, uma após a outra...
uma após a outra...
uma após a outra...
e pelo rosto vai se formando
uma cascata
da água límpida
que o coração,
agoniado
afogado...
libertou sem querer...
Um choro doce.
Um choro amargo.
Melancolia...
se sentir no fundo do poço
de se sentir entre a pele e o osso...
As águas que brotam dos olhos
são tão íntimas...
são ínfimas partes do sentimento maior
de não mais pertencer.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails