sexta-feira, 8 de maio de 2015

Por conta de meu silêncio

Ao invés de falar, faço silêncio. Porque minhas palavras talvez soassem duras demais. Porque minhas feições ao falar talvez ficassem duras demais. Mas eu não me engano, o peso do meu silêncio é tão grande quanto o mundo em mim que o acolhe e as palavras caladas me cortam por dentro como se facas afiadas fossem: cortam os órgãos, a carne, a pele. Nada fica imune. Mas o tempo irá passar e minhas palavras caladas ecoarão em outros silêncios. O tempo, mestre supremo, me dará razão e minha voz surgirá dos abismos para enfim dizer o que deverá ser dito. Ouvidos incautos, preparem-se! Ouvidos ingratos, preparem-se! Do fundo do silêncio brotará a verdade, somente ela, para florescer entre nós.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails